Bairro Coroado – 12

A HISTÓRIA DO BAIRRO

Desde o surgimento do Bairro até os dias de hoje muita coisa mudou. Há aproximadamente quarenta anos atrás, a Rua Carlos Lindemberg, era uma trilha, ou como se chamava na época, era uma “picadinha”. As ruas transversais não existiam. Com o tempo foram se abrindo trilhas para depois se tornarem ruas. As principais trilhas eram onde hoje são:

  • A Rua Carlos Lindemberg, que vinha desde Olaria passando pela Água Mineral até a casa de Dona Nicota e Seu Zé (pais de Seu Carlinhos, sogros de Martha);
  • A Rua Espírito Santo era uma trilha que começava na altura da casa de Seu José Aleixo até a casa de Seu Manoel Santos;
  • A Rua Magalhães Pinto descia pela casa de “Tonico e Zé Pastor” (chamado Morro do Periquito), até as proximidades da casa de Lingüinha;
  • A Rua Eliziário Lourenço Dias começava em Olaria vinha até a subida do Morro do cemitério. Era a única estrada, não era uma trilha.

Dentre alguns moradores desse período e os que chegaram anos após destacam-se as famílias:

  • Do Senhor Manoel Santos e Dona Alice;
  • Chuchu e Dona Joana;
  • Dos herdeiros de Eliziário Lourenço Dias (Dona Elza, Marina);
  • Senhor Osvaldo e Dona Maria;
  • Senhor José Aleixo e Dona Maria;
  • Senhor Zé e Dona Nicota (pai do Senhor Carlinhos):
  • Senhor Wilson e Betinha;
  • Senhor Nivaldo e Dona Maria Eunice;
  • Senhor Samuel;
  • Seu Raulino e Dona Maria Amélia;
  • Senhor Daniel;
  • Seu Dedê;
  • Seu Joel e Dona Carminha;
  • Seu Antenor;
  • Seu Mulatinho.

Nessa época não havia água encanada, iluminação, e os veículos motorizados só chegaram bem depois. Os moradores utilizavam água de poço que era retirada da parte baixa do bairro e utilizavam também lamparinas e lampiões. As casas eram feitas de madeira (barracos) e só com passar do tempo foram sendo construídas ou trocadas por casas de alvenaria. Fala-se que o barraco mais bonito era do senhor Oswaldo, que tinha uma linda varanda vermelha, onde o mesmo ficava tocando bandolim para alegria dos moradores locais. O gás de cozinha passou a fazer parte da realidade das famílias locais somente tempos mais tarde. Para o preparo da comida utilizavam-se fogões a lenha e fogareiros a carvão, feitos com latas e barro.

Anúncios

Sobre carlosilva41

SOU UM SER DE DEUS.
Esse post foi publicado em Não categorizado. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Bairro Coroado – 12

  1. amanda disse:

    oi profe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s